A Vivência de Cultura Urbana é uma atividade inovadora impactante na vida de quem participa voltada para escolas/colégios particulares do ensino fundamental II e médio. A experiência vivencial de “Cultura Urbana” acontece por meio do intercâmbio cultural-social, Ensaio Aberto, oficinas de Grafite, Break Dance (Dança de rua), MC (Mestre de Cerimônia) e DJ (Disk jockey).

Para A Banca a Cultura Urbana é a junção de diferentes linguagens culturais com origem urbana e suburbana, vivida e aperfeiçoada conforme o tempo por “artistas anônimos” distintos e originais

Mostra 2

As oficinas tem o tempo de duração de até duas horas nas dependências das escolas com até 30 jovens por turma. Para  as saídas culturais sociais utilizamos o tempo de um período do dia, ou seja, manhã ou tarde para visitação de lugares diferentes da realidades dos jovens, com a capacidade de até 50 pessoas por saída com café da manhã, almoço, espaço físico e anfitriões e locais incluso.

Veja a seguir um pequeno vídeo do Sr. Wagner Cafagni Borja atual na época (2013) diretor do ensino médio do colégio Lourenço Castanho falando quanto é importante a Vivência de Cultura Urbana para escolas particulares homogêneas socialmente.

Atualmente (2016) Wagner é Vice-Diretor na Escola Nossa Senhora das Graças e continua apoiando A Banca com a Vivência de Cultura Urbana.

Está a fim de promover a quebra de barreiras sociais no espaço em que você atua?Entre em contato conosco e no informe sua necessidade e faça conosco um orçamento exclusivo que atenderá suas necessidades e ainda impactará positivamente a vida das pessoas que convivem com você. E-mail: contato@abanca.org

O objetivo principal do projeto Núcleo de Vivência de Cultura Urbana: Plataforma para o Empreendedorismo Juvenil é fomentar o empreendedorismo cultural social econômico em jovens estudantes do ensino médio de escolas públicas do Distrito do Jardim Ângela que vivem em alta vulnerabilidade social e econômica.

  • Utilizar a cultura Hip Hop e Urbana na prevenção e conservação aos direitos da criança e adolescentes;
  •  Difundir informações de acesso a editais, gestão, políticas públicas voltadas para a juventude;
  •  Realizar 12 (doze) work shops de MC, Culinária, Literatura e Dança de Rua (KRUMP);
  •  Realizar 12 (doze) apresentações musicais, uma ao final de cada seminário temático;
  •  Realizar 64 (sessenta e quatro) roda de conversas com jovens estudantes do ensino médio de escolas públicas com troca de ideias e experiências.
  •  Fomentar a escrita de projetos de seleção pública como o programa VAI;
  •  Realizar 12 (doze) seminários com o tema Empreendedorismo Social Cultural e Geração de Renda com convidados que tenha relação com o tema;
  •  Estimular/provocar o empreendedorismo cultural e a valorização da rede social em jovens de escolas públicas e;
  •  2 (dois) grandes eventos em espaços públicos sendo eles totalmente gratuito.