A Vivência de Cultura Urbana é uma atividade inovadora impactante na vida de quem participa voltada para escolas/colégios particulares do ensino fundamental II e médio. A experiência vivencial de “Cultura Urbana” acontece por meio do intercâmbio cultural-social, Ensaio Aberto, oficinas de Grafite, Break Dance (Dança de rua), MC (Mestre de Cerimônia) e DJ (Disk jockey).

Para A Banca a Cultura Urbana é a junção de diferentes linguagens culturais com origem urbana e suburbana, vivida e aperfeiçoada conforme o tempo por “artistas anônimos” distintos e originais

Mostra 2

As oficinas tem o tempo de duração de até duas horas nas dependências das escolas com até 30 jovens por turma. Para  as saídas culturais sociais utilizamos o tempo de um período do dia, ou seja, manhã ou tarde para visitação de lugares diferentes da realidades dos jovens, com a capacidade de até 50 pessoas por saída com café da manhã, almoço, espaço físico e anfitriões e locais incluso.

Veja a seguir um pequeno vídeo do Sr. Wagner Cafagni Borja atual na época (2013) diretor do ensino médio do colégio Lourenço Castanho falando quanto é importante a Vivência de Cultura Urbana para escolas particulares homogêneas socialmente.

Atualmente (2016) Wagner é Vice-Diretor na Escola Nossa Senhora das Graças e continua apoiando A Banca com a Vivência de Cultura Urbana.

Está a fim de promover a quebra de barreiras sociais no espaço em que você atua?Entre em contato conosco e no informe sua necessidade e faça conosco um orçamento exclusivo que atenderá suas necessidades e ainda impactará positivamente a vida das pessoas que convivem com você. E-mail: contato@abanca.org

O objetivo principal do Projeto Quebrando Bolhas é promover a atuação direta da juventude, no processo de discussão e desenvolvimento urbano da sua comunidade e cidade, aguçando o senso crítico, propondo soluções criativas e coletivas para solucionar seus desafios cotidianos.

O Projeto Quebrando Bolhas terá o tempo de execução de 06 (seis) meses, serão realizados 20 (vinte) encontros presencias acontecendo uma vez por semana com 02 (duas) horas de duração, tendo 02 (dois) educadores, um educador popular e uma coordenadora pedagógica com turma de até 50 (cinquenta) jovens. Essas atividades semanais abordarão as seguintes temáticas:
Conteúdos históricos e técnicos da cultura Hip Hop, começando um aprofundamento de vivências com realidades diferentes, criação de grupo, autoestima, desconstrução de mitos, medos, preconceitos, discriminação, violência, educação cidadã com cultura e elaboração de projetos sócios culturais. Despertando o interesse dos educandos em conhecer a sociedade que está inserida e de que forma atuam dentro dela. Tendo um olhar muito pessoal de cada participante.
Serão realizados 02 seminários/work shop com as temáticas “Mobilização juvenil, Que cidade é Essa? e Atravessando as Pontes”. Usaremos nos seminários o eixo temático como espaço de construção da REDE, ampliação de conhecimentos, quebra de paradigmas sempre garantindo a participação das escolas num processo de troca de experiência e criação de novas tecnologias de integração.