A Vivência de Cultura Urbana é uma atividade inovadora impactante na vida de quem participa voltada para escolas/colégios particulares do ensino fundamental II e médio. A experiência vivencial de “Cultura Urbana” acontece por meio do intercâmbio cultural-social, Ensaio Aberto, oficinas de Grafite, Break Dance (Dança de rua), MC (Mestre de Cerimônia) e DJ (Disk jockey).

Para A Banca a Cultura Urbana é a junção de diferentes linguagens culturais com origem urbana e suburbana, vivida e aperfeiçoada conforme o tempo por “artistas anônimos” distintos e originais

Mostra 2

As oficinas tem o tempo de duração de até duas horas nas dependências das escolas com até 30 jovens por turma. Para  as saídas culturais sociais utilizamos o tempo de um período do dia, ou seja, manhã ou tarde para visitação de lugares diferentes da realidades dos jovens, com a capacidade de até 50 pessoas por saída com café da manhã, almoço, espaço físico e anfitriões e locais incluso.

Veja a seguir um pequeno vídeo do Sr. Wagner Cafagni Borja atual na época (2013) diretor do ensino médio do colégio Lourenço Castanho falando quanto é importante a Vivência de Cultura Urbana para escolas particulares homogêneas socialmente.

Atualmente (2016) Wagner é Vice-Diretor na Escola Nossa Senhora das Graças e continua apoiando A Banca com a Vivência de Cultura Urbana.

Está a fim de promover a quebra de barreiras sociais no espaço em que você atua?Entre em contato conosco e no informe sua necessidade e faça conosco um orçamento exclusivo que atenderá suas necessidades e ainda impactará positivamente a vida das pessoas que convivem com você. E-mail: contato@abanca.org

Em 1999 nasce A Banca, um movimento juvenil que se organizava para fazer eventos de Hip Hop como forma de conquistar respeito, ter voz e sobreviver a dura realidade local. Esse lugar é o Distrito do Jardim Ângela, que na década de 90 foi o lugar mais violento do mundo segundo a ONU, e que nos dias atuais encontra-se na lista dos lugares mais violentos da cidade de São Paulo com  população de mais de 500 mil habitantes. Em 2008 A Banca tornou-se uma pessoa jurídica no formato de associação após passar pela Expedição Jovens Empreendedores ARTEMISIA turma de 2007. Desde o início de suas atividades, A Banca já realizou mais de 80 eventos gratuitos em espaços públicos da cidade de São Paulo, nos quais se apresentaram 100 grupos musicais, beneficiando diretamente 40.000 pessoas. Além dos eventos, a produtora realiza outras atividades culturais e presta serviços como: oficinas de Hip Hop, ensaios abertos, intervenções culturais, e vivência entre classes sociais. Nesse contexto, A Banca tem o título de OCISP e se posiciona no mundo como uma produtora cultural social de impacto positivo, que utiliza a música, a cultura Hip Hop, Educação Popular e a Tecnologia para promover a inclusão, fortalecer a identidade e o empreendedorismo juvenil periférico.

Nos dias atuais já desenvolveu projetos culturais sociais de impacto social positivo com o governo Municipal do Estado e Federal inclusive projetos de leis de incentivo como a Lei Rouanet e vem sendo referência na conexão entre escolas publicas e particulares.

O grande diferencial da A Banca é que além de trabalhar a cultura a música como educação, é colocado em pratica o exercício de cidadania organizando, discutindo e conectando os jovens das periferias com outros atores da sociedade, sendo um momento de reflexão e conhecimento do que acontece ao seu redor, com discussões compartilhadas dando ao jovem total liberdade de expressão e sentimento de participar de algo positivo onde as pessoas escutam umas a outras. Com a proposta de aprofundar questões como: saúde, meio ambiente, desarmamento, educação juvenil, moradia, quebra das barreiras sociais, empreendedorismo juvenil, fomento ao empreendedorismo cultural, transporte público, entre outros.     

Missão:

Conectar pessoas e quebradas de diferentes realidades e condições sociais para proporcionar o empoderamento dos sonhos e a quebra das barreiras sociais.

Princípios

Fomentar o empreendedorismo de impacto periférico.

Fazer da tecnologia ferramenta multiplicadora de nossas ações.

Acreditar na cultura como potencial de transformação.

Causar impacto social positivo na sociedade.

Quebrar as barreiras sociais e econômica que segregam a sociedade.

Compromisso com a diversidade de gênero.

Não perder o foco e disciplina, sempre ter positividade para as escolhas que forem tomadas.

Honestidade.

Fazer de nossos sonhos, a conexão com a transformação social positiva.

Acreditar na pessoas, sempre!

Acompanhar as tendências e inovações sociais e tecnológicas.

Fazer valer os direitos básicos para a periferia.

Ser protagonista de nossas vidas.

Proporcionar o protagonismo juvenil.

Fazer das dificuldade aprendizagem para novas soluções.

Visão

Ser uma organização de referência mundial no fomento de negócios culturais sociais de impacto periférico.

Nossos valores

Troca de conhecimentos

Respeito

Humildade

Acreditar no sonho

Vivenciar

Força de vontade 

Resistência e Resiliência

Acreditar no protagonismo juvenil

Foco e comprometimento no impacto social positivo para as pessoas

Promover o olhar do coração

Conectar-se com diferentes realidades 

Valorizar os conhecimentos populares e saberes periféricos.

Cruzar educação tradicional com educação e conhecimentos periféricos 

Nossas Referências

Artemisia

Vox Capital

Geekie

Racionais MC’s

Criolo

Emicida

Karol ComK

Paulo Freire

Mário Sérgio Cortella

Vivências na quebrada

Hip Hop

Favela Roandig

LAB Fantasma

Zero Neutro

Alto do Zé do Pinho

Cufa

Afroreggae

Bob Marley

Sérgio Vaz ( Cooperifa)

Ferréz

Muhammad Yunus

Poesia Samba Soul

Literatura Marginal